domingo, 13 de agosto de 2017

A instrução do pai


"O filho sábio ouve a instrução do pai (...)" Provérbios 13:1

Estamos hoje na data em que se comemora o Dia dos Pais. A data é importante, não obstante o uso comercial que é feito dessas comemorações, porque é um dia ligado à instituição família.
O pai é lembrado muitas vezes como aquele que provê o sustento para sua família, enquanto a mãe fica com os filhos, mas o versículo acima lembra que o pai deve dar instruções aos filhos. 
A instrução do pai pode ser pela palavra ou pelo modo de conviver com os filhos, pelo exemplo. Lembro de meu pai como um homem trabalhador, que não falava muito, era bem severo quanto à educação dos filhos e zeloso quanto a seus princípios religiosos. Mais tarde gostava de ver os netos e continuava trabalhando em casa, mesmo depois de fechar a oficina de alfaiate. 
Esse exemplo de meu pai, observo hoje, continua vivendo, quando acho natural para mim continuar trabalhando após os sessenta  anos,  gosto de conviver com meus netos, que vivem mais próximos de mim do que meus filhos viviam do avô e aprecio participar de uma comunidade religiosa.  Quanto à educação dos filhos, hoje sou mais flexível que meu pai, mas creio primordiais os conselhos na formação dos jovens. Simplesmente há coisas que eles não veem ainda claramente e sobre as quais precisamos alertá-los. Por exemplo, meu neto e seus amigos se perderam no caminho para um acampamento da igreja ,quando bastava seguir reto numa estrada. Seria mais fácil ter perguntado para o pai o caminho antes de partirem de carro e ligarem o aplicativo.
Todos nós, na realidade, precisamos de instruções. Nosso Pai Celestial quer falar conosco e levar-nos a uma vida feliz. Ouçamos a instrução do Pai através de Sua Palavra.

sábado, 29 de julho de 2017

Anjos em nossa defesa


"E orou Eliseu e disse: Senhor, peço que lhe abras os olhos, para que veja. E o Senhor abriu os olhos do moço, e viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu" II Reis 6:17

 O rei da Síria estava furioso. Toda a vez que traçava planos para destruir o rei de Israel, alguma coisa acontecia que fazia com que o rei escapasse. Reuniu seus capitães e abriu uma investigação: quem estava, entre eles, espionando em favor do inimigo? A investigação resultou num achado espantoso: quem avisava o rei dos planos era um homem chamado Eliseu, profeta do Senhor Deus de Israel.
Toda a raiva do rei dirigia-se agora contra Eliseu. E ele mandou que um exército marchasse contra ele.
Quando, na manhã seguinte, o ajudante de Eliseu saiu para passear em volta de sua casa, assustou-se com o que viu, voltou tremendo e acordou o profeta. Este olhou em volta e viu coisa diferente: havia um exército maior cercando a casa e o defendendo. Pediu então a Deus que acalmasse seu ajudante, abrindo-lhe os olhos. O servo, Geazi, viu, então, as forças do Senhor prontas para defendê-los - e em número maior do que as forças inimigas. 
Eliseu surpreendentemente dirigiu-se aos inimigos  e levou-os à cidade de Samaria, onde estava o rei de Israel, que queriam destruir. - Devo matá-los?, perguntou o rei de Israel. - Não, disse o profeta, dá-lhes um banquete. Os inimigos saborearam o banquete, voltaram para seu chefe e relataram que agora eram amigos do antigo inimigo. Não mais atacaram naquele momento. 
Esse relato está registrado na Bíblia  para nos animar. Sempre que ao redor há alguma força marchando contra nós, no serviço, em casa, nas ruas, podemos imaginar os anjos de Deus, dirigidos pelo Senhor, lutando por nós, e mais fortes e poderosos, de forma que nos dão a vitória.
Ainda que nossos olhos não se abram para ver literalmente o exército de Deus por nós, podemos crer neles e ficar em paz: as forças do Senhor velam por nós. E o poder de Deus é maior.
 

segunda-feira, 24 de julho de 2017

O barro e o Oleiro

"Mas agora, ó Senhor, tu és nosso Pai, nós somos o barro, e tu, o nosso oleiro; e todos nós, obra das tuas mãos." Isaías 64:8
Quando o teólogo pastor Adolfo Soares esteve em visita à minha igreja, mencionou que escrevera um guia para leitura da Bíblia, no qual mostrava três perguntas básicas para leitura da Bíblia: o que Deus me diz?, o que Deus faz por mim?, o que Deus quer que eu faça?
Os capítulos indicados para leitura ontem, dia do falecimento de minha mãe, e hoje, são Isaías 64 e 65, que mostram a oração de Isaías pelo povo de Israel e a resposta de Deus.
Do capítulo 64 é a mensagem do versículo acima. Realmente somos apenas barro e nosso Criador nos moldou e molda hoje e soprou no barro o fôlego da vida. "Ele guardará a tua alma (vida)" - diz o Salmo 121. Ainda, Deus diz que "todos nós murchamos como a folha" (Isaías 64:6)
O capítulo de hoje, que mostra a resposta de Deus a Isaías, traz lindas promessas de esperança, ao falar dos justos na terra renovada, como: "Pois eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá lembrança de coisas passadas, jamais haverá memória delas." Isaías 65:17 Creio que um dia a terra será renovada e viveremos na Nova Terra eternamente com o Senhor. 
Isso o que Deus disse nas leituras de ontem e hoje.
O que Ele pode fazer por mim: "... os meus servos cantarão por terem o coração alegre..." Isaías 65:14 Ele pode nos restituir a alegria através das promessas.
O que Ele quer que eu faça: Ele quer que pertença ao povo do Senhor e O sirva: "..os meus eleitos herdarão a terra e os meus servos habitarão nela." Isaías 65:9

terça-feira, 18 de julho de 2017

Salvação e louvor

"Nunca mais se ouvirá de violência na tua terra, de desolação ou ruínas, nos teus limites;mas aos teus muros chamarás Salvação, e às tuas portas, Louvor." Isaías 60:18

Estou lendo um capítulo por dia do livro de Isaías, neste mês. Isaías é um profeta não só para o povo de Israel mas traz promessas para todos nós hoje.
A promessa do versículo acima nos lembra que nosso Deus renovará a terra e habitará na Nova Jerusalém com o seu povo, que é de todas as nações.
Na Bíblia, há muitas vezes a profecia de que Jesus voltará e de que os reinos do mundo passarão - como vários passaram, desde a Antiguidade, mas que o Reino que vem - o Reino de Deus, que será estabelecido um dia  - não passará.
Hoje os noticiários falam de violência e de atentados, que deixam desolação e ruínas, então esta promessa diz muito a nós. 
Enquanto vivermos neste velho planeta teremos muitas vezes essas notícias de destruição, porém na Nova Terra que Deus promete haverá paz e só serão proclamados o Louvor a Deus e a Sua Salvação. 
Podemos esperar em Deus e em Suas promessas. O Senhor é fiel e as cumprirá, como têm sido cumpridas as profecias.

sábado, 8 de julho de 2017

Cristãos de longe

"Então, prendendo-o, o levaram e o introduziram na casa do sumo sacerdote. Pedro seguia de longe." Lucas 22:54

O que seria seguir a Jesus de longe? Pedro seguia a Jesus de longe enquanto o Mestre era levado para a morte. Em lugar de estar junto com os outros discípulos, estava junto com os inimigos de Jesus.
Por três vezes disse que não era dos seguidores do Senhor e então o galo cantou, Pedro encontrou os olhos de Jesus e lembrou-se do que Ele profetizara.
Nós, os modernos seguidores, estamos seguindo Jesus de perto? Ou estamos nos misturando a grupos longe dEle e querendo a aceitação desses grupos?
Estar longe significa estar-se afastando do Caminho do Evangelho. 
Cristo nos quer perto dele. Seu caminho é de Paz e Alegria, não obstante haja tribulações, e é também um caminho de obediência.
Pedro mais tarde arrependeu-se e voltou a estar perto de Jesus. Fiquemos nós também junto a Cristo.

 

sábado, 1 de julho de 2017

O trabalho de Deus

"Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os ohos se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera." Isaías 64:40

O pastor que foi orador no dia de hoje chamou-nos a atenção para alguns milagres revelados na Palavra e perguntou: Foi Moisés que que abriu o Mar Vermelho ou Josué, ou Elias ou Eliseu que abriram passagem pelo Jordão?
Ele nos recordava de episódios bíblicos em que profetas estiveram presentes em acontecimentos milagrosos, como a travessia do Mar Vermelho pelos israelitas quando fugiam dos egípcios ou quando, já chegando na terra prometida, atravessaram o Jordão, já sob a liderança de Moisés e de quando Elias, próximo a ser trasladado, atendendo à ordem divina atravessando o mesmo rio depois de tocá-lo com o manto, feito igualado na volta pelo seu sucessor Eliseu, que o acompanhara na jornada.
Questionando nossa própria vida, podemos achar pequenas travessias do mar ou de um rio caudaloso em nossa vida. Como os anos que atravessamos aqui em casa sem poder visitar duas crianças de nossa família. Quando as portas das visitas se abriram, fomos nós que as abrimos? E quando as enfermidades graves foram vencidas, quem nos sarou?
Há muitas vitórias milagrosas em nosso passado, se soubermos reconhecê-las e, por certo, podemos atribuí-las a nosso Deus. Como o trabalho de Deus atuou em sua vida? Pergunte-se e exerça também sua gratidão!

sábado, 17 de junho de 2017

A mensagem que ouvi hoje

"Então o sinal do Filho do Homem aparecerá no céu. Todos os povos da terra chorarão e verão o Filho do Homem, descendo nas nuvens, com poder e grande glória. A grande trombeta tocará, e ele mandará os seus anjos para os quatro cantos da terra. E os anjos reunirão os escolhidos de Deus de um lado do mundo até o outro." Mateus 24:30 e 31

Ouvi hoje sobre um filme que não conheço - Deixados para trás. Este filme conta sobre a experiência de não ser levado para o céu na segunda vinda do Senhor.
Entretanto, na visão do filme, a volta de Jesus não é visível para todos. Apenas é possível notar que algumas pessoas são levadas, deixando seus pertences no lugar em que estavam, como, por exemplo, num avião, e depois desaparecendo.
Essa ideia tem sua base neste capítulo, quando se diz que dois homens estarão trabalhando, um será levado e o outro deixado ou duas mulheres estarão no moinho, uma será levada e a outra deixada. A ideia que o filme dá é a de que as pessoas que ficarem terão uma segunda oportunidade. 
Entretanto, conforme os versículos 26 e 27, não é exato que Sua vinda não seja visível -será como o relâmpago que risca o céu, no nascente até o poente. E o verso 42 pede que vigiemos porque não sabemos a hora da volta de Jesus. 
O alerta para vigiar liga-se à necessidade de ser levado para o céu nessa ocasião solene, porque depois a terra será desolada e as pessoas deixadas para trás sofrerão, como sofreram os que ficaram fora da arca na época do dilúvio (versículo 37).
Lembremos dessa mensagem que Deus encarece, porque é repetida inúmeras vezes na Bíblia. Jesus quer nos levar para o Céu no Dia de Sua vinda. Estejamos até lá no Caminho do Senhor.
 

sábado, 10 de junho de 2017

Amor de namorados

"Grave o meu nome no seu coração e no anel que está no seu dedo." Cantares 8:6

A Bíblia também traz mensagens sobre amor entre homem e mulher, mostrando conselhos sobre essa forma de relacionamento - seja de esposos seja de noivos ou namorados.
Próximo ao Dia dos Namorados, vou transcrever alguns versículos sobre o amor.

"O seu perfume é suave; o seu nome é para mim como perfume derramado. Nenhuma mulher poderia deixar de amá-lo." Cantares 1:3

"Como um lírio entre os espinhos, assim é a minha amada entre as outras mulheres." Cantares 2:2

"Estou ouvindo a voz do meu amor. Ele vem depressa, descendo as montanhas, correndo pelos montes. (...) O meu querido está ali, do lado de fora da nossa casa. Ele está olhando para dentro, pelas janelas; está me espiando pelas grades. O meu amor está falando comigo." Cantares 2:9 e 10

"Venha, então, minha querida; venha comigo, meu amor." Cantares 2:10

"Minha noiva, meu amor, você é como um jardim cercado e fechado; é uma fonte particular." Cantares 4:12

"Entre dez mil homens, o meu amado é o mais bonito e o mais forte." Cantares 4:10

""Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu. Ele leva as suas ovelhas para pastarem entre os lírios." Cantares 6:3

"Como você linda, minha querida! Como você me dá prazer! Como é agradável a sua presença!" Cantares 7:7

"Grave o meu nome no seu coração e no anele que está no seu dedo. O amor é tão poderoso como a morte; e a paixão é tão forte como a sepultura." Cantares 8:6

No sentido próprio, esses versículo se referem ao amor entre o rei Salomão e sua noiva denominada  Sulamita. É certo que muitos deles podem ser entendidos metaforicamente como o amor entre Jesus e a igreja pura. É interessante ler o livro inteiro de Cantares de Salomão, no Antigo Testamento, após o livro de Eclesiastes.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Profeta da mentira


"Abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo pelo caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça." (II Pedro 2:15)

A segunda carta de Pedro aos cristãos primitivos - e que, como toda a Escritura, é a Palavra de Deus para nós - adverte contra falsos profetas e menciona Balaão, que foi um profeta corrupto.
Balaão foi chamado por um rei inimigo do povo de Israel, Balaque, para que amaldiçoasse seu próprio povo, em troca de riquezas materiais.
É claro que Deus o advertiu para não ir, mas ele teimou e foi, mesmo assim, de tanto insistir. No meio do caminho, um anjo se lhe opôs e Balaão não o viu, mas sim a jumenta, que falou  - falou mesmo com palavras, repreendendo o próprio dono. Por isso é dito em II Pedro: Recebeu, porém, castigo da sua transgressão, a saber, um mudo animal de carga, falando com voz humana, refreou a insensatez do profeta. (II Pedro 2:16).
Balaão viu, então, o anjo, com a espada para castigá-lo. Depois disso, seguiu o rei Balaque, mas de sua boca somente saíram bênçãos para o povo de Deus.
A mensagem de Pedro é contra falsos mestres que estavam passando aos cristãos a falsa convicção de que não é necessário seguir a lei, ou afastar-se de uma vida pecaminosa, porque a graça de Cristo cobriria toda a transgressão (mesmo que deliberada).
O apóstolo adverte com duras palavras: a vida do cristão deve ser afastada do mal, no caminho reto. A graça nos cobre, porque não somos perfeitos e não atingimos a obediência perfeita. Necessitamos ser salvos pela graça. Mas não haveria sentido na vida ao lado de Jesus se o novo cristão não abandonasse o caminho largo seguido antes.
Lembremos de Balaão e evitemos falsos ensinamentos sobre a salvação fácil, longe dos caminhos da pureza, da moderação e do bem.

 

sábado, 20 de maio de 2017

Cantares


"Ó tu, que habitas nos jardins, os companheiros estão atentos para ouvir a tua voz; faze-me também ouvi-la." Cântico 8

O livro de Cantares foi escrito por Salomão em homenagem à sulamita, mulher amada.
Procurei hoje entender o que nos diz o versículo acima.
Conforme a divisão do capítulo, esta frase é dita pelo esposo para a esposa. Ele menciona que ela fala ou canta se dirigindo aos companheiros ou irmãos que estão com ela no jardim. De acordo com os comentários bíblicos, os irmãos da sulamita a guardavam para que aguardasse pura o momento de casar.
O esposo quer logo que a noiva lhe dirija palavras.
Aplicando o texto à vida na família, podemos lembrar que muitas vezes nos dedicamos ao convívio na vida profissional ou com os vizinhos e até com os amigos virtuais e não conversamos com nossos familiares, que convivem conosco mais proximamente, e até mesmo não nos dedicamos tanto ao esposo ou à esposa. Nosso confidente maior aqui na terra deve ser nosso cônjuge, pelo menos na forma ideal.
O versículo também pode ser visto no contexto da metáfora em que a igreja é a noiva de Jesus. Então, podemos entender que nosso Amigo Celestial está ansioso por ouvir nossa voz, nossa confissão, nossos anseios. 
A oração é uma conversa com Deus. Podemos falar com Ele assim como falamos com nossos amigos e o Senhor quer ouvir nossas palavras a Ele. Ouçamos a voz de Deus através da Palavra e contemos a Ele o que vai em nosso íntimo através da oração.

sábado, 13 de maio de 2017

Desde a infância


"(sabendo) que, desde a infância, sabes as sagradas letras, que podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus. " II Timóteo 3:15

Este versículo, escrito por Paulo, referindo-se a Timóteo, pregador da igreja cristã primitiva, lembrou-me hoje de minha própria infância.
Todos os dias, minha mãe à noite nos ensinava lições da Bíblia adaptadas à nossa idade. Assim conheci os principais personagens bíblicos, como Moisés, Josué, Davi, Salomão, o próprio Paulo e os demais apóstolos.
O texto menciona a aprendizagem da Palavra desde a infância, deixando implícito que este ensino foi ministrado pela mãe de Timóteo, Eunice, e por sua avó, Lóide, como foi dito no capítulo 1:5, do mesmo livro de II Timóteo.
A educação inicia-se com efeito no lar e o lar onde a Palavra de Deus é ensinada contribui para a formação de cristãos firmes da fé, confiantes nas promessas do Pai Celestial, conhecedores dos conselhos da grande Sabedoria Divina.
Neste Dia das Mães, agradeço a minha mãe, que me ensinou nestes caminhos, e desejo a todos os leitores que tenham um dia agradável junto a suas famílias.

sábado, 22 de abril de 2017

A Paz


"Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz." Tiago 3:18

Na última semana, estive em um encontro com a escritora Anete, daqui da blogosfera. Ela se dedica a partilhar mensagens agradáveis nos seus espaços e principalmente mensagens de paz.
Presenteou-me com um pequeno quadro - o que vemos na imagem acima - retratando esse bem.
Sobre um fio de arame farpado estão alguns pássaros, pousados suavemente e sem terem contato com as farpas. Pairando acima do fio está um outro pássaro.
A paz que Cristo nos dá está além de nosso entendimento. Em meio a situações calamitosas que existem no mundo, nós estamos, quais passarinhos entre as farpas. Às vezes elas estão bem perto de nós e temos de conviver com aflições. Às vezes, Deus nos livra dessas aflições e nos presenteia com situações de libertação. 
De todas as formas temos que agradecer, porque Deus nos mantém em paz e devemos cultivar a paz que vem da vida cristã, compartilhando-a com os irmãos.
A Paz de Cristo esteja com todos nós.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Como orvalho

                                               Monte Sião, em Jerusalém

"Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o Senhor ordena as bênçãos e a vida para sempre." Salmo 133:3

Após o conjunto de cerimônias ligadas à Páscoa, no primeiro mês do ano (que para nós corresponde a abril), os hebreus preparavam-se para a festa de Pentecostes, no terceiro mês do ano, cinquenta dias após o domingo da festa das primícias. Esta festa, para eles, relembrava a dispensação da lei no monte Sinai. 
Para nós, cristãos, é associada à descida do Espírito sobre os cristãos reunidos em Jerusalém, num aposento.
O Salmo 133 inicia mencionando quão bom é que os irmãos vivam em união. Neste fim de semana, ouvi uma associação deste Salmo com a união dos primeiros cristãos, logo após a ascensão de Cristo - quarenta dias após a Páscoa. Uma promessa de Jesus, antes de ascender ao Céu,  foi a de que enviaria o Espírito Santo para estar com os discípulos e era o cumprimento dessa promessa que esperavam unidos em oração.
A união dos irmãos, neste Salmo, é comparada ao óleo de unção, que é um símbolo do Espírito na Bíblia. Na realidade, compreendi a comparação ontem, durante a palestra que ouvi - do pastor Max Schwab. Diz o Salmo: "Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos! É como o óleo precioso sobre a cabeça, a qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes". E conclui com o versículo transcrito acima.
Arão foi o primeiro sumo sacerdote. Após a ascensão, Cristo tornou-se nosso sumo sacerdote no céu, nosso intercessor. A unção de Jesus como Sumo Sacerdote no Céu (após a ascensão) foi à época do cumprimento da promessa do Espírito Santo. Daí a associação da união dos irmãos com o óleo sobre a cabeça de Arão, numa aplicação profética do Salmo.
O aposento em que os discípulos se reuniam era em Jerusalém, da qual o monte Sião é um símbolo.  Ali, como orvalho, receberam a manifestação do Espírito Santo, que está conosco para tornar possível nossa vida cristã  no cumprimento da missão de Jesus - levar o evangelho.

 

sábado, 15 de abril de 2017

Páscoa


"No mês primeiro, aos catorze do mês, no crepúsculo da tarde, é a Páscoa do Senhor." Levítico 23:5

Ouvi hoje uma palestra sobre a Páscoa, como tradição religiosa hebraica, que passou à cultura cristã.
A Páscoa, originalmente, é a primeira das sete festas religiosas do antigo povo de Israel.
Era celebrada no primeiro mês do calendário hebraico, que corresponde ao nosso mês de abril, no dia
14, lembrando a saída de Israel do Egito, após quatrocentos anos de escravidão, quando, segundo a Bíblia, Deus mandou o anjo da morte passar nas portas cujos umbrais não fossem pintados com o sangue de um cordeiro sacrificado pela família, já apontando para Cristo, o Libertador do pecado, nosso Salvador.
No caminho para Canaã, Deus instituiu um sistema de festas simbólicas para o povo, sendo a primeira a Páscoa.
Devemos meditar em alguns acontecimentos que ocorreram na Páscoa do ano em que Cristo foi sacrificado. Ele morreu exatamente na hora em que o cordeiro deveria ser sacrificado, houve um terremoto e a cortina do templo partiu-se de alto a baixo. Isso significava que o verdadeiro sacrifício havia-se cumprido.
Há outro fato importante:a próxima festa era imediatamente após a Páscoa, no dia seguinte ao sábado, quando um molho de cereal, que deveria ser retirado antes da colheita, era movido pelo sacerdote no templo, significando que as primícias pertencem ao Senhor. No ano em que Cristo morreu, essa festa aconteceu na manhã do domingo em que Cristo ressuscitou, lembrando que Cristo representa as primícias dos justos que serão ressuscitados no grande dia da volta de Jesus.
A Páscoa representa assim, salvação e  esperança na ressurreição. Deus nos oferece por intermédio de Cristo a Vida Eterna, este o grande significado da Páscoa.

Desejo a todos os leitores que, refletindo no que a Palavra nos diz, tenham uma alegre e abençoada Páscoa.


segunda-feira, 10 de abril de 2017

Novidade

"E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou." II Coríntios 5:15

Nesta semana, os cristãos geralmente lembram essa verdade - Cristo morreu e ressuscitou por nós, o que é afirmado pelo apóstolo Paulo neste versículo. No mesmo capítulo, Paulo recorda que aqueles, como os discípulos, que antes haviam conhecido Jesus como uma figura humana - segundo a carne - já agora não era deste modo que deviam lembrá-lo.
Jesus, após a ressurreição, foi entronizado no céu e todos os seres celestiais o receberam como vencedor. Este Cristo, ressurreto e vencedor é que nos promete a vitória, a vida, o céu. 
É o que comemoramos na Páscoa, a ressurreição e vitória de Cristo. E é o Cristo vivo que lembramos na festa da ressurreição. As coisas antigas já passaram, eis que se fizeram novas (v. 17).
Agradeçamos a Deus porque enviou Jesus para que nos reconciliasse com o Senhor e nos desse uma viva esperança.
É nessa esperança que nos alegramos, é essa esperança que devemos transmitir ao próximo. Como diz o versículo, vivemos para Ele, Jesus, de acordo com a sua Palavra, para que um dia estejamos com Ele juntamente com nossos irmãos.

 

domingo, 26 de março de 2017

Mudanças

"E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite,  e foi para o Egito." Mateus 2:14
 
Recentemente me mudei - acima está a nova imagem de amanhecer que tenho da janela voltada para o leste - e a leitura para reflexão de hoje me lembrou que a Bíblia conta sobre muitas mudanças.
Lembro da mudança do povo de Israel - grande e demorada mudança - do Egito para a Canaã prometida, que durou 120 anos. 
Houve também a mudança da arca de Deus para Jerusalém e a mudança de local de adoração para o templo construído por Salomão mais tarde.
Mefibosete ficou feliz em mudar-se para o palácio, depois de seu exílio em Lo-Debar, após a morte de seu pai, da dinastia de Saul, que foi sucedido por Davi.
Samuel saiu da casa de seus pais para servir no templo e Davi deixou de viver no campo para morar no palácio, ainda antes de ser rei.
O versículo lembra da mudança da família de Jesus para o Egito - mudança para outro país - após o aviso, por um anjo, de que o rei desejava matar o menino.
Antes de precisar mudar de país aqui na terra, Jesus mudou-se no universo, do reino celestial para este pequeno planeta e aqui teve uma vida humilde e cheia de perseguições e humilhações - por nós.
Lembremos, sobretudo, da mudança que Jesus propiciou para nós: estamos, os Filhos de Deus, marchando para o Céu, assim como o povo de Israel marchou para Canaã. Jesus já nos presenteou com uma nova morada no céu.

sábado, 11 de março de 2017

Como criança




"Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo." Salmo 131:2
  Estou acompanhando um programa de quarenta dias de leitura da Bíblia orientada por uma forma de aprimorar o estudo da Palavra.
Na leitura de hoje, encontro um lindo Salmo que nos leva a refletir sobre a confiança em Deus.
A comparação poética "como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo" lembra a necessidade de sossegar e viver momentos de calma e paz simplesmente sem procurar soluções, respostas, caminhos por conta própria.
O versículo anterior diz que o salmista não é soberbo e não tem olhar altivo. Soberbos e altivos somos quando pensamos que sozinhos podemos resolver tudo. Meu esposo costuma me recordar que preciso consultá-lo para resolver alguns detalhes como o almoço com um filho ou a hora marcada num salão de beleza ou no médico.
Muito mais devemos consultar nosso Deus sobre as decisões em nossa vida.  Ele pode nos levar à melhor decisão e à tranquilidade para decidir ou para esperar uma solução.
A confiança em Deus nos traz momentos tranquilos. Nestes dias de tantos cuidados, agitação, movimento, precisamos  de calma e paz. A atitude de descansar nossa alma, confiar nossa vida a Deus, recordando suas belas promessas e as histórias do passado sobre as vitórias que o Senhor proporcionou nos dá essa tranquilidade de que precisamos.
Vamos estar na quietude e na paz dos braços de Deus!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Vivifica-me


 "Ando errante como ovelha desgarrada; procura o teu servo, pois não me esqueço dos teus mandamentos." Salmos 119:176


Uma amiga que propõe uma atividade coletiva na internet, pediu que escrevêssemos nesta semana frases sobre coerência. Demorei um pouco para achar o que escrever e terminei lembrando a qualidade necessária num texto escrito e estendendo a aplicação para a nossa vida.
Diz o dicionário que coerência é a ligação, nexo ou harmonia entre dois fatos ou duas ideias, harmonia, conexão.
O versículo acima lembra que por nós mesmos andamos errantes, sem um caminho certo, mas o nosso Bom Pastor pode nos procurar e guiar de acordo com sua palavra. Outra verdade é que não basta conhecer a palavra; é necessário deixar-se guiar pelo Senhor.
Lendo hoje este Salmo, escrito por Davi, achei 176 versículos escritos sobre a lei de Deus e a busca por ela na vida. Ocorreu-me que essa procura é que dá coerência à vida de uma forma positiva. 
Num determinado ponto diz o salmista: "Nunca me esuecerei dos teus preceitos, visto que por eles me tens dado vida." A lei de Deus, além de dar harmonia a nossos caminhos, traz mais vida para eles, como também diz outro versículo: "Vivifica-me, Senhor, segundo a tua palavra" (Salmo 119:107). 
Este último versículo é o título de um programa para a leitura da Bíblia - um capitulo por dia. Tenho achado alegria em ler a Palavra todo o dia pela manhã, procurando o que Deus diz em cada capítulo, como isso se aplica a cada um de nós e o que Deus diz para mim especialmente neste capítulo. 
Leia um capítulo da Bíblia e tente seguir estes passos. Verá que encontra sempre uma nova mensagem.   

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Com letras grandes

"Vejam com que letras grandes estou lhes escrevendo de próprio punho." Gálatas 6:11

Aprendi hoje este texto bíblico, escrito pelo  apóstolo Paulo na sua carta aos cristãos da Galácia, de forma a confirmar como de sua própria autoria o texto.
Lembrei-me então de quando minha irmã mandava um cartão pelo Natal ou pelo Dia das Mães ou no meu aniversário em seu próprio nome e no de  minha mãe e então colhia a assinatura desta, com letras cada vez mais trêmulas. Minha irmã desejava que eu lembrasse que minha mãe também estava me mandando a mensagem.
A Bíblia, em todos os seus sessenta e seis livros, tem uma assinatura única, embora tenham sido escrita por vários os autores.
Todos os livros da Bíblia nos mostram o amor de Deus de variadas formas e em diferentes estilos,  nos levando a pensar no Senhor como Criador, Salvador, Provedor, Amigo.
Ela é uma grande carta para nós e traz a mensagem de nosso Pai para nós.
Quem não desejaria admirar os conselhos de Deus, que nos conhece em cada detalhe, como seres humanos em geral, e individualmente. Ele sabe o melhor para nós.
Em minha igreja estamos começando hoje um programa de leitura da Bíblia, em que aprendemos a aplicar aos textos basicamente três perguntas:
- o que Deus diz neste texto?
- o que eu entendo deste texto?,
- o que Deus quer que eu faça?
O texto será aplicado aos últimos 40 versículos do livro de Salmos, linda poesia escrita por Davi e outros autores para o louvor de Deus. Neles também Deus nos fala. 
Procuremos achar neste e em outros textos bíblicos as palavras de Deus para nós.
 

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Nossas ovelhas

"Procura conhecer o estado das tuas ovelhas, põe o teu coração sobre o teu rebanho." Provérbios 27:23

Conheci este versículo numa programação destinada à família.
O pregador mencionou que Jesus recomendou a um jovem que o visitou que devia amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Em seguida perguntou quem seria nosso próximo, o próximo de cada membro da congregação.
Concluiu que os que nos são mais próximos são nossos familiares. Assim a segunda parte do mandamento de Jesus - que resume os mandamentos - aplica-se especialmente à família.
O autor de Provérbios ao referir-se às ovelhas pode ter lembrado das ovelhas que faziam parte dos rebanhos, mas a palavra ovelha refere-se na Bíblia também a nós, já que Cristo disse que é o Bom Pastor, que dá a vida por suas ovelhas.
Como seguidores de Jesus,  para seguir a ordem de ir e pregar,  temos também nossas ovelhas e podemos achá-las em muitos lugares. Cada pastor entretanto tem um rebanho a seu cuidado.
Creio que concordam comigo em que o rebanho que está diretamente sob nosso cuidado é o da nossa família. Que cada membro, criança ou adulto, veja em nós a imagem do Pastor que é Jesus, cujos ensinamentos seguimos. 
Se isso acontecer, sorrisos, bons conselhos, graça e alegria estarão com nossas ovelhas e nosso lar será feliz.  

sábado, 4 de fevereiro de 2017

A luz de Deus



"Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo. " II Coríntios 4:6

Nas férias, um dia chegamos pelas 22h30 no hotel após assistirmos a um show com tema natalino. O hotel disponibilizava cartões para acender o sistema de luzes do apartamento, que deveriam ser retirados quando saíssemos, já que o cartão também servia para abrir a fechadura na volta. 
Abrimos a porta e por um instante as luzes se acenderam e depois se apagaram. Creio que um de nós acionou as luzes com o cartão e depois o retirou. Assim, ficamos no escuro e temerosos que alguém mais pudesse ter retirado o cartão do lugar e pudesse estar escondido ali no aposento. Por fim, conseguimos achar o celular e, com a luz do aparelho, localizamos o cartão sobre uma bancada, de forma que pudemos restabelecer a eletricidade.
A escuridão traz o temor e a incerteza, e a luz nos dá segurança e direção.
O versículo acima lembra que foi Deus que criou a luz, no início da criação do mundo. A promessa lembra que nosso Deus iluminará nosso coração, isto é, nossas capacidades de percepção e de compreensão da realidade para que O conheçamos, através da revelação de Cristo.
Grande promessa é esta: seremos iluminados para atingir o conhecimento de Deus. Isso nos dará segurança e paz e também nos fará crescer à semelhança do caráter do Mestre.
Procuremos a Deus através de Sua Palavra, estudemos as mensagens que nos deixou e que atuarão como uma lâmpada a iluminar nosso caminho na direção do Autor.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Transformação



"E vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo."Ezequiel 36:26

Neste último fim de semana, ainda em férias, conseguimos localizar no domingo à noite uma igreja próxima à hospedagem em que estamos.
Havia uma palestrante que dirigiu o estudo da Palavra. 
Ela iniciou o sermão contando a história, que é conhecida por muitos, de um músico idoso que ficava numa esquina tocando seu velho violino, que parecia sempre muito desafinado.
Um dia aproximou-se dele um senhor que pediu para afinar o violino. Ele não apenas afinou o violino como tocou-o em seguida e as pessoas pararam para ouvir as lindas melodias que o velho violino agora produzia.
Aquele homem que tocava era o brilhante compositor e violinista Paganini.
Somos violinos desafinados, mas, nas mãos de Jesus, podemos nos transformar e produzir uma linda música.
Jesus disse que somos o sal da terra e a luz do mundo. Deixando-nos guiar pelo exemplo de Cristo, levaremos o sabor e a luz da vida cristã ao mundo.
 

sábado, 14 de janeiro de 2017

A nuvem

"Durante o dia o Senhor ia na frente deles numa coluna de nuvem, para lhes mostrar o caminho. Durante a noite ele ia na frente deles numa coluna de fogo, para iluminar o caminho, a fim de que pudessem andar de dia e de noite. A coluna de nuvem sempre ia adiante deles durante o dia, e a coluna de fogo ia durante a noite." Êxodo 13:21 e 22

Ouvi hoje uma reflexão do orador, que  falava pela primeira vez à igreja,  sobre estes dois versículos.
Quando o povo de Israel saiu do Egito e se dirigiu a Canaã, foi levado por Deus através de um longo caminho, durante o qual o povo amadureceu enquanto esperava o momento de entrar na terra prometida.
O povo era guiado por uma nuvem que os protegia do sol durante o dia e que à noite se tornava luminosa para que pudessem prosseguir na jornada, quando isso fosse ordenado.
Havia um caminho bem curto para chegar a Canaã, mas o Senhor, na nuvem, é que dava a direção e, assim, avançaram por quarenta anos.
A coluna protegia também do calor causticante do deserto. O Senhor oferecia proteção.
O Senhor proveu também alimento para o povo - o maná, um pão miraculoso que caía do céu.
Além disso, a nuvem lhes dava a certeza da presença de Deus, a companhia do Senhor.
Ainda hoje, concluiu o orador, que havia aceito prontamente o chamado para dirigir a igreja onde ouvi o sermão, Deus oferece direção, proteção, provisão e companhia a seu povo.
Vamos agradecer ao Senhor por isso!