sábado, 17 de junho de 2017

A mensagem que ouvi hoje

"Então o sinal do Filho do Homem aparecerá no céu. Todos os povos da terra chorarão e verão o Filho do Homem, descendo nas nuvens, com poder e grande glória. A grande trombeta tocará, e ele mandará os seus anjos para os quatro cantos da terra. E os anjos reunirão os escolhidos de Deus de um lado do mundo até o outro." Mateus 24:30 e 31

Ouvi hoje sobre um filme que não conheço - Deixados para trás. Este filme conta sobre a experiência de não ser levado para o céu na segunda vinda do Senhor.
Entretanto, na visão do filme, a volta de Jesus não é visível para todos. Apenas é possível notar que algumas pessoas são levadas, deixando seus pertences no lugar em que estavam, como, por exemplo, num avião, e depois desaparecendo.
Essa ideia tem sua base neste capítulo, quando se diz que dois homens estarão trabalhando, um será levado e o outro deixado ou duas mulheres estarão no moinho, uma será levada e a outra deixada. A ideia que o filme dá é a de que as pessoas que ficarem terão uma segunda oportunidade. 
Entretanto, conforme os versículos 26 e 27, não é exato que Sua vinda não seja visível -será como o relâmpago que risca o céu, no nascente até o poente. E o verso 42 pede que vigiemos porque não sabemos a hora da volta de Jesus. 
O alerta para vigiar liga-se à necessidade de ser levado para o céu nessa ocasião solene, porque depois a terra será desolada e as pessoas deixadas para trás sofrerão, como sofreram os que ficaram fora da arca na época do dilúvio (versículo 37).
Lembremos dessa mensagem que Deus encarece, porque é repetida inúmeras vezes na Bíblia. Jesus quer nos levar para o Céu no Dia de Sua vinda. Estejamos até lá no Caminho do Senhor.
 

sábado, 10 de junho de 2017

Amor de namorados

"Grave o meu nome no seu coração e no anel que está no seu dedo." Cantares 8:6

A Bíblia também traz mensagens sobre amor entre homem e mulher, mostrando conselhos sobre essa forma de relacionamento - seja de esposos seja de noivos ou namorados.
Próximo ao Dia dos Namorados, vou transcrever alguns versículos sobre o amor.

"O seu perfume é suave; o seu nome é para mim como perfume derramado. Nenhuma mulher poderia deixar de amá-lo." Cantares 1:3

"Como um lírio entre os espinhos, assim é a minha amada entre as outras mulheres." Cantares 2:2

"Estou ouvindo a voz do meu amor. Ele vem depressa, descendo as montanhas, correndo pelos montes. (...) O meu querido está ali, do lado de fora da nossa casa. Ele está olhando para dentro, pelas janelas; está me espiando pelas grades. O meu amor está falando comigo." Cantares 2:9 e 10

"Venha, então, minha querida; venha comigo, meu amor." Cantares 2:10

"Minha noiva, meu amor, você é como um jardim cercado e fechado; é uma fonte particular." Cantares 4:12

"Entre dez mil homens, o meu amado é o mais bonito e o mais forte." Cantares 4:10

""Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu. Ele leva as suas ovelhas para pastarem entre os lírios." Cantares 6:3

"Como você linda, minha querida! Como você me dá prazer! Como é agradável a sua presença!" Cantares 7:7

"Grave o meu nome no seu coração e no anele que está no seu dedo. O amor é tão poderoso como a morte; e a paixão é tão forte como a sepultura." Cantares 8:6

No sentido próprio, esses versículo se referem ao amor entre o rei Salomão e sua noiva denominada  Sulamita. É certo que muitos deles podem ser entendidos metaforicamente como o amor entre Jesus e a igreja pura. É interessante ler o livro inteiro de Cantares de Salomão, no Antigo Testamento, após o livro de Eclesiastes.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Profeta da mentira


"Abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo pelo caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça." (II Pedro 2:15)

A segunda carta de Pedro aos cristãos primitivos - e que, como toda a Escritura, é a Palavra de Deus para nós - adverte contra falsos profetas e menciona Balaão, que foi um profeta corrupto.
Balaão foi chamado por um rei inimigo do povo de Israel, Balaque, para que amaldiçoasse seu próprio povo, em troca de riquezas materiais.
É claro que Deus o advertiu para não ir, mas ele teimou e foi, mesmo assim, de tanto insistir. No meio do caminho, um anjo se lhe opôs e Balaão não o viu, mas sim a jumenta, que falou  - falou mesmo com palavras, repreendendo o próprio dono. Por isso é dito em II Pedro: Recebeu, porém, castigo da sua transgressão, a saber, um mudo animal de carga, falando com voz humana, refreou a insensatez do profeta. (II Pedro 2:16).
Balaão viu, então, o anjo, com a espada para castigá-lo. Depois disso, seguiu o rei Balaque, mas de sua boca somente saíram bênçãos para o povo de Deus.
A mensagem de Pedro é contra falsos mestres que estavam passando aos cristãos a falsa convicção de que não é necessário seguir a lei, ou afastar-se de uma vida pecaminosa, porque a graça de Cristo cobriria toda a transgressão (mesmo que deliberada).
O apóstolo adverte com duras palavras: a vida do cristão deve ser afastada do mal, no caminho reto. A graça nos cobre, porque não somos perfeitos e não atingimos a obediência perfeita. Necessitamos ser salvos pela graça. Mas não haveria sentido na vida ao lado de Jesus se o novo cristão não abandonasse o caminho largo seguido antes.
Lembremos de Balaão e evitemos falsos ensinamentos sobre a salvação fácil, longe dos caminhos da pureza, da moderação e do bem.

 

sábado, 20 de maio de 2017

Cantares


"Ó tu, que habitas nos jardins, os companheiros estão atentos para ouvir a tua voz; faze-me também ouvi-la." Cântico 8

O livro de Cantares foi escrito por Salomão em homenagem à sulamita, mulher amada.
Procurei hoje entender o que nos diz o versículo acima.
Conforme a divisão do capítulo, esta frase é dita pelo esposo para a esposa. Ele menciona que ela fala ou canta se dirigindo aos companheiros ou irmãos que estão com ela no jardim. De acordo com os comentários bíblicos, os irmãos da sulamita a guardavam para que aguardasse pura o momento de casar.
O esposo quer logo que a noiva lhe dirija palavras.
Aplicando o texto à vida na família, podemos lembrar que muitas vezes nos dedicamos ao convívio na vida profissional ou com os vizinhos e até com os amigos virtuais e não conversamos com nossos familiares, que convivem conosco mais proximamente, e até mesmo não nos dedicamos tanto ao esposo ou à esposa. Nosso confidente maior aqui na terra deve ser nosso cônjuge, pelo menos na forma ideal.
O versículo também pode ser visto no contexto da metáfora em que a igreja é a noiva de Jesus. Então, podemos entender que nosso Amigo Celestial está ansioso por ouvir nossa voz, nossa confissão, nossos anseios. 
A oração é uma conversa com Deus. Podemos falar com Ele assim como falamos com nossos amigos e o Senhor quer ouvir nossas palavras a Ele. Ouçamos a voz de Deus através da Palavra e contemos a Ele o que vai em nosso íntimo através da oração.

sábado, 13 de maio de 2017

Desde a infância


"(sabendo) que, desde a infância, sabes as sagradas letras, que podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus. " II Timóteo 3:15

Este versículo, escrito por Paulo, referindo-se a Timóteo, pregador da igreja cristã primitiva, lembrou-me hoje de minha própria infância.
Todos os dias, minha mãe à noite nos ensinava lições da Bíblia adaptadas à nossa idade. Assim conheci os principais personagens bíblicos, como Moisés, Josué, Davi, Salomão, o próprio Paulo e os demais apóstolos.
O texto menciona a aprendizagem da Palavra desde a infância, deixando implícito que este ensino foi ministrado pela mãe de Timóteo, Eunice, e por sua avó, Lóide, como foi dito no capítulo 1:5, do mesmo livro de II Timóteo.
A educação inicia-se com efeito no lar e o lar onde a Palavra de Deus é ensinada contribui para a formação de cristãos firmes da fé, confiantes nas promessas do Pai Celestial, conhecedores dos conselhos da grande Sabedoria Divina.
Neste Dia das Mães, agradeço a minha mãe, que me ensinou nestes caminhos, e desejo a todos os leitores que tenham um dia agradável junto a suas famílias.

sábado, 22 de abril de 2017

A Paz


"Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz." Tiago 3:18

Na última semana, estive em um encontro com a escritora Anete, daqui da blogosfera. Ela se dedica a partilhar mensagens agradáveis nos seus espaços e principalmente mensagens de paz.
Presenteou-me com um pequeno quadro - o que vemos na imagem acima - retratando esse bem.
Sobre um fio de arame farpado estão alguns pássaros, pousados suavemente e sem terem contato com as farpas. Pairando acima do fio está um outro pássaro.
A paz que Cristo nos dá está além de nosso entendimento. Em meio a situações calamitosas que existem no mundo, nós estamos, quais passarinhos entre as farpas. Às vezes elas estão bem perto de nós e temos de conviver com aflições. Às vezes, Deus nos livra dessas aflições e nos presenteia com situações de libertação. 
De todas as formas temos que agradecer, porque Deus nos mantém em paz e devemos cultivar a paz que vem da vida cristã, compartilhando-a com os irmãos.
A Paz de Cristo esteja com todos nós.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Como orvalho

                                               Monte Sião, em Jerusalém

"Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o Senhor ordena as bênçãos e a vida para sempre." Salmo 133:3

Após o conjunto de cerimônias ligadas à Páscoa, no primeiro mês do ano (que para nós corresponde a abril), os hebreus preparavam-se para a festa de Pentecostes, no terceiro mês do ano, cinquenta dias após o domingo da festa das primícias. Esta festa, para eles, relembrava a dispensação da lei no monte Sinai. 
Para nós, cristãos, é associada à descida do Espírito sobre os cristãos reunidos em Jerusalém, num aposento.
O Salmo 133 inicia mencionando quão bom é que os irmãos vivam em união. Neste fim de semana, ouvi uma associação deste Salmo com a união dos primeiros cristãos, logo após a ascensão de Cristo - quarenta dias após a Páscoa. Uma promessa de Jesus, antes de ascender ao Céu,  foi a de que enviaria o Espírito Santo para estar com os discípulos e era o cumprimento dessa promessa que esperavam unidos em oração.
A união dos irmãos, neste Salmo, é comparada ao óleo de unção, que é um símbolo do Espírito na Bíblia. Na realidade, compreendi a comparação ontem, durante a palestra que ouvi - do pastor Max Schwab. Diz o Salmo: "Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos! É como o óleo precioso sobre a cabeça, a qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes". E conclui com o versículo transcrito acima.
Arão foi o primeiro sumo sacerdote. Após a ascensão, Cristo tornou-se nosso sumo sacerdote no céu, nosso intercessor. A unção de Jesus como Sumo Sacerdote no Céu (após a ascensão) foi à época do cumprimento da promessa do Espírito Santo. Daí a associação da união dos irmãos com o óleo sobre a cabeça de Arão, numa aplicação profética do Salmo.
O aposento em que os discípulos se reuniam era em Jerusalém, da qual o monte Sião é um símbolo.  Ali, como orvalho, receberam a manifestação do Espírito Santo, que está conosco para tornar possível nossa vida cristã  no cumprimento da missão de Jesus - levar o evangelho.